sábado, abril 02, 2005

O poder e o amor

A propósito do post "Eu bem avisei!", um anónimo escreveu:
"Caro Captain, O Miguel Esteves Cardoso dizia isso mas não em relação ao poder: "O Amor é Fodido", título de uma das grandes obras desse nosso ignorado génio literário. O poder também o deve ser, mas não tanto, senão não haveria tanta unhaca de fora a tentar agarrar a mais ténue réstia dessa coisa. Né?"
Meu caro amigo(a)
Sendo certo que MEC escreveu sobre o amor e não sobre o poder, recomendo-lhe a leitura de Gabriel García Márquez. Notícia de um sequestro, edições Dom Quixote, página 62: (...) Mas o poder - como o amor - tem dois gumes: exerce-se e sofre-se(...).
Conclusão: Pois é. O poder e o amor são ... aquilo que são! Segundo MEC e GGM, claro!

3 comentários:

Anónimo disse...

Já que andamos numa de recomendações literárias e a propósito de amor, poder e escritores sul-americanos, sugiro-lhe também, caro Captain, A Festa do Chibo, de Mário Vargas LLosa.
Coincidência das coincidências,até faz lembrar um bocadinho o estado da política PPD cá do burgo- miserável.
Bom livro esse Notícia de um Sequestro. Mas consigo preferir ainda a Crónica de uma Morte Anunciada.
E não vale a pena incorrer em paralelismos fáceis. A previsibilidade também satura.

Anónimo disse...

Where did you find it? Interesting read Withdrawal symptoms of oxycontin merced volkswagen

Anónimo disse...

Very cool design! Useful information. Go on! »