domingo, fevereiro 27, 2005

MUDE (fim)

(...)
Busque novos amigos.
Tente novos amores.
Faça novas relações.
Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes, tome outro tipo de bebida, compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa.
Escolha outro mercado, outra marca de sabonete, outro creme dental... tome banho em novos horários.
Use canetas de outras cores.
Vá passear em outros lugares.
Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas, troque de carro, compre novos óculos, escreva outras poesias.
Jogue os velhos relógios, quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.
Abra conta em outro banco.
Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros, outros teatros, visite novos museus.
Mude.
Lembre-se de que a Vida é uma só.
Arrume um outro emprego, uma nova ocupação, um trabalho mais light, mais prazeroso, mais digno, mais humano.
Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.
Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem destino.
Experimente coisas novas.
Troque novamente.
Mude, de novo.
Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores, mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia.
Só o que está morto não muda!
Edson Marques.

9 comentários:

Anónimo disse...

E não é que o Edson é capaz de ter razão!

Ima disse...

O arrependimento que os homens sentem pelo mau emprego do tempo que já viveram nem sempre os leva a fazer melhor uso do que lhes resta.
La Bruyere

Anónimo disse...

Claro que o Edson tem razão.
Pelo menos no que respeita à utilização do poema (inserido no livro "Solidão a Mil") pela agência Leo Burnet, numa campanha da Fiat, no Brasil.

Anónimo disse...

...ENQUANTO ISSO,NO PORTUGAL REAL
A NOSSA BRIOSA VAI FICANDO MENOS MAL

GRANDE ALMIRANTE,ASSIM,JÁ NÃO TEMOS ELEIÇÕES EM MARÇO?

RESTA-NOS A POESIA

COIMBRA B

fuzileiro disse...

Já descobri: o Marcelo lê o port~-aviões. Também mudou; mudou de canal, mudou de entrevistadora, mudou de cenário e, sobretudo, mudou de acutilância. Agora deixa a política para uns minutitos finais e começa com um livro sobre Jorge Melo! PArece-vos que está a querer parecer candidato presidencial a iniciar recolha de fundos para a campanha ? E aquela de falar sobre o Papa (votos católicos !) e de se queixar de um assunto tão relevante para a vida nacional sobre o frio no Aeroporto do Porto ? O homem é um gozão impagável ...

Eleno Karaindrou disse...

Era a vossa sorte de o MRS fosse candidato.

Preocupem-se é com as próximas autárquicas, pois 20% de diferença para o PS é muita fruta.

Apliquem-se, mostrem obra, que isto não está para malandros.

Faltam oito meses para uma NOVA ERA!

Eleni Karaindrou disse...

Era a vossa sorte se o Marcelo fosse candidato.

Preocupem-se é com as próximas autárquicas, em Coimbra, pois 20% de diferença para o PS é muita fruta.

Apliquem-se, mostrem obra, que isto não está para malandros.

Faltam oito meses para uma NOVA ERA!

Já sinto a co-incineração no ar...

Anónimo disse...

Nova era?! Com quem?
Com o Machado, o João Silva, o Clemente e o Cidade, mai-lo Santarino? Ou com o Vítor Baptista? Ou o Faustito?
Obra? Mas que obra deixaram os socialistas em Coimbra depois dos 12 anos em que lá estiveram?!...
Pontes, túneis, estradas, vias rápidas, estádios, piscinas?...
Ou as deixaram muito escondidas ou efectivamente só tinham tempo para os almoços no Reis, até às 5 da tarde.

Sea Hawk disse...

Eleni...
A memória (quando selectiva) é curta...
Não se lembra dos resultados das autárquicas e das legislativas seguintes, nas quais o PS saiu vencedor no concelho?...
Não se lembra dos 12 anos de machadismo?...
Não se lembra dos almoços no Reis e das tardes de ressaca?...
Não se lembra de uma cidade sem ambição; sem amor-próprio; capital disto e daquilo e de nada ao mesmo tempo?...
Há eleições e eleições. E as de Outubro não as ganha nem com o Faustito de Bruxelas... É que em Coimbra já se respira e - mais importante ainda - já se pode respirar. E sonhar!